Qual é o seu perfil de viajante?

Alguns são super organizados e agendam todas as atividades das férias, outros escolhem o destino pela gastronomia, pelas praias ou pelas atrações culturais e ainda há quem simplesmente quer descanso e mais nada. O que não faltam são diferentes tipos de viajantes, cada qual com as suas preferências. O que é stressante para um pode ser o que proporciona felicidade ao outro e, independentemente do perfil, o importante é que todos se divirtam à sua maneira. 

 

Veja abaixo alguns dos muitos tipos de viajante e descubra se algum deles é o seu.

 

O fotógrafo

Adora registar tudo o que vê e na sua bagagem há sempre lentes e cartões de memória extras. Não resiste às paisagens, à arquitetura, às pessoas e contempla quase tudo no mundo através do visor do telemóvel ou da câmara, sempre em busca do próximo clique. Vai voltar para casa com milhares de fotos – várias delas no Instagram, para a sorte dos seus seguidores – e, provavelmente, reviverá várias vezes as aventuras das férias apenas pelas imagens.

 

O organizado

A viagem e a diversão começam semanas ou até meses antes, período em que procura todo o tipo de informação sobre o destino e define a programação completa de cada um dos dias fora de casa, com um nível surpreendente de detalhe. Quem o acompanha na viagem sabe exatamente a hora que deverá sair da cama, o tempo que terá disponível para o pequeno-almoço, a agenda definida com horários marcados e bilhetes comprados e os meios de transporte. Não há espaço para improvisos, mas no regresso ao hotel o sentimento é de dever cumprido e de prazer por ter aproveitado tão bem o dia. Depois, é só relaxar e tentar dormir o quanto antes, pois a programação do dia seguinte já está completamente definida – e começa bem cedo.

 

O louco por selfies

Ele precisa de aparecer em todas as fotos que tira, como se fosse o toque especial em todos os cenários das férias. Com o seu selfie stick sempre a postos, não se intimida com a quantidade de registos que faz em poucos segundos nem com a plateia de desconhecidos que observa todas as suas poses. Além de desenvolto, também é incansável. Consegue fotografar-se em dezenas de lugares num único dia, às vezes em sítios pouco recomendáveis e até perigosos. Antes de postar nas redes, analisa minuciosamente as selfies e, a cada like conquistado, todo o esforço terá valido a pena.

 

O mochila às costas

Tem o radar apurado para tudo o que é low-cost e pouco convencional, por isso, as suas viagens costumam ser baratas e divertidas. O mochila às costas sabe lidar com o imprevisto, não costuma seguir roteiros, é adepto dos transportes públicos e de comida de rua e está sempre interessado em conhecer as pessoas e a cultura local. Com facilidade, faz novos amigos pelo caminho e, por estar com a “casa” sempre às costas, pode mudar os seus planos quando um novo destino se mostra mais desafiador e interessante. 

 

O blogger

Precisa de contar a todos o que viu e está sempre a anotar algo no seu bloco de notas ou no telemóvel. Não guarda para si os tesouros descobertos e os problemas que surgem em cada novo destino. Partilha tanto as experiências boas quanto as menos boas, para incentivar e, ao mesmo tempo, proteger a sua audiência nas suas próximas aventuras. Gosta de complementar a sua perceção pessoal com dados e informações interessantes do local visitado e mantém o blog atualizado durante a viagem. Adora receber comentários com elogios, sugestões e dúvidas, que terá todo o prazer em esclarecer. Espera, assim, ajudar outros viajantes a aproveitar melhor as viagens. 

 

O historiador

Quem viaja com este tipo poupa alguns euros com visitas guiadas e guias turísticos. O historiador tem um vasto conhecimento da história dos lugares que visita e quando não domina algum assunto sente prazer em pesquisá-lo, para aproveitar ainda mais cada minuto da experiência e manter bem informadas as pessoas que o acompanham na viagem. Não se importa com o excesso de bagagem, devido aos livros que colecionou pelo caminho.

 

O guia turístico

Ele visita todos os sítios ditos “obrigatórios”, que resumem a cidade para quem tem pressa. Não cumprir todo o roteiro deixa este tipo de viajante frustrado, com a sensação de uma viagem incompleta. E, convenhamos, se estas atrações recebem este destaque e multidões de visitantes, é porque têm a sua beleza e o seu valor. 

 

O foodie

O que mais procura na viagem é uma experiência gastronómica para chamar de sua. Ousado e aventureiro, não se intimida com ingredientes ou preparativos pouco convencionais. Pode vir a sofrer alguns transtornos intestinais, mas nada que o demova da ideia de continuar a experimentar o que de melhor e mais autêntico a gastronomia local pode oferecer. E vale tudo, restaurantes elegantes, tascas simples, comida de rua e os lugares que qualquer foodie não falha: feiras e mercados regionais.

 

O tranquilo

O que deixa este viajante feliz? A falta de compromisso e de horário. O dia perfeito é aquele em que se acorda tarde, demora-se num bom pequeno-almoço e passa o dia na praia ou à sombra, com um bom livro – que muitas vezes nem abre –, comidas e bebidas para petiscar e uma sesta entre as refeições. À noite, vai até um sítio tranquilo, com a música certa para soltar o corpo e deixar a mente vagar. E assim sucessivamente, até o fim das férias.

 

Então? Identificou-se com algum destes tipos? O mais importante é saber que, qualquer que seja o seu perfil, pode contar sempre com a assistência viagem e saúde da RNA, pois, onde quer que esteja, estamos lá!

RElated Posts
Conheça o WBT - World Bike Tour 2020, um evento de incentivo à prática desportiva saudável, sustentabilidade e inclusão social
11 Set, 2020
Certificado Digital: COVID-19 UE
21 Jul, 2021